LOCALIZAÇÃO DE LEITORES


web site estatísticas

quarta-feira, 29 de maio de 2013

O AUTÊNTICO CORRUPTO E SUA AUTODETERMINAÇÃO- II.



Imagem da Internet.


Semana passada assisti a uma reportagem de TV em que se mostrou uma apreensão de produtos culturais pirateados na maior fábrica desses produtos do país que fica em São Paulo. Na ocasião foi preso um dos chefes da quadrilha.

Incomodado com o trabalho daqueles que são uma das formas de constrangimento moral, uma reportagem de TV que exibiu o bandido em pleno ato de delinquência, ele, tentando se livrar da repórter que perguntava sobre a situação e as consequências de seu ato, agiu de forma arrogante, prepotente e cínica.

O bandido disse, revelando o que pensa sobre os mecanismos que os outros homens que seguem a via da busca constante da elevação de sua condição de humano, ao ser perguntado se se incomodava com as algemas: “Você já viu algum cachorro ser preso?”

A modernidade criou um novo significado para as prisões, segundo li num trabalho acadêmico que está escrevendo minha filha Ingridy para a faculdade de Direito em que estuda, que é a aplicação da pena para punir pelos erros do delinquente. Nesse novo conceito está implícito que a prisão é um fim em si mesmo. Posto que defendem que os presos devem ser reeducados para ser devolvidos ao meio social. Antes disso se prendia para aguardar a execução da pena. Assim entendi, grosso modo.

Essa foi uma luta que começou a ser empreendida com o objetivo de se ter uma nova abordagem da prisão a partir dos pensadores iluministas e humanistas em contraposição a outra forma de punição exemplar e capital: a pena de morte.

Na atualidade a pena de morte está com o seu objetivo em franco declínio de credibilidade na maioria dos países desenvolvidos, posto que as pessoas mais civilizadas enxergam no martírio do delinquente uma forma de degradação moral de todos os outros que deveriam receber a mensagem da execução como um alerta. Pois a brutalidade ultrapassa o objetivo da pena: punir o condenado e alertar os outros inclinados ao delito.

A extinção da pena de morte não é apenas para evitar erros de acusações que se tornam irreparáveis, mas pelo apelo do humanismo e pela tese da necessidade de se recuperar o delinquente através do castigo aliado a um processo de reeducação moral e cultural, e não tão somente extingui-lo como forma de punição.

Então, não é pelo deboche do delinquente em relação à prisão, como no exemplo do bandido que pirateia os produtos culturais, que se modificam as penalidades, mas pela preservação dos princípios humanitários.

O bandido pirata, no exemplo aqui citado, também é autêntico, visto que possui trejeitos, estética e arrogância particulares assim como os delinquentes que atuam na política.

Seu deboche em relação à prisão, do mesmo modo que políticos expulsos do poder em Floriano, suscita mais uma questão: Eles são prepotentes porque apostam que serão salvos por seus pares que agirão para tentar corromper os encarregados pela punição.

E por que apostam nisso? Porque já são escravos e dependentes da corrupção. Abandonaram qualquer chance de seguir pela via dos outros homens e não têm mais como voltar atrás, posto que não temem qualquer consequência dos atos delinquentes praticados. Apostam na impunidade.

E sorriem cinicamente entre os outros homens em festas e outras circunstâncias, pois apostam na sua autenticidade e impunidade.

Para finalizar cito um exemplo local para mostrar como o modus operandi dos corruptos autênticos são parecidos, porém, nunca são iguais.

Um sujeito que até bem pouco tempo atrás andava numa velha bicicleta vermelha buscando encontrar um meio de comprar a comida do dia. Em menos de seis meses se tornou um “empresário” milionário (relevem o emprego inadequado aqui do termo ‘empresário’). Hoje a ascensão econômica, pensa ele, lhe deu o direito de massacrar a moral dos outros homens que seguem a via da elevação da condição humana. Pois vai às tribunas públicas vomitar um passado inventado para justificar, aparentemente, a sua presença entre os outros homens. O pior é que esse falso discurso vomitado é ecoado por um portal de notícias local que é pago para ajudar a montar a farsa.

Aqui parece haver uma contradição no modus operandi dos corruptos locais em relação à sua prepotência íntima em ser corrupto. Mas é apenas uma aparente contradição. O seu jogo de autenticidade permanece íntegro. O que muda é o sentido da justificação do “sucesso” para os outros homens. Ele mesmo, o corrupto, sabe que o seu “sucesso” é decorrente tão somente dos atos corruptos, mas necessita ser aceito.

Se não consegue a aceitação pela via da prepotência corrupta, pois os outros homens se mantêm irredutíveis na sua via, então ele, corrupto, busca uma aparente justificação moral do resultado da corrupção. É só isso. No mais, ele se mantem autêntico.     


  

O AUTÊNTICO CORRUPTO E SUA AUTODETERMINAÇÃO- I.



Imagem da Internet.


Brincando com ideias e palavras, busco decifrar o modus operandi e de ser de um grupo político que foi expulso do poder de nossa cidade depois de destruí-la quase que completamente.

Acredito que quando um corrupto é plenamente consciente de seus atos de corrupção ele se torna determinado e consequência inevitável dos seus atos corruptos. Os atos corruptos são conscientemente praticados por ele e, ação contínua, o escravizam docemente na teia de recíproca determinação.

O corrupto é sabedor e dependente da corrupção, pois não se vê mais descolado de sua criatura deliberada. Para existir, os dois necessitam um do outro. A corrupção para existir necessita do corrupto que se encontra escravo de si mesmo porque passa a ser dependente da corrupção para viver. Sendo assim, ele rodopia em espiral, mas volta ao agora eterno círculo de autodeterminação e dependência mútua.

O corrupto sai da via que busca elevar o homem a uma condição, proposta por outros homens, de superioridade na busca de sua condição de humano. O corrupto desiste de seguir os outros homens no projeto de elevação da condição e constrói uma nova redoma para si que não é mais coletiva, mas dele próprio.

É neste ponto que vejo a autenticidade do corrupto. Ele constrói um novo modo de ser, que é próprio e personalizado, com tipos de adereços os mais questionáveis esteticamente para expor a sua criação como sendo construção dele, e de mais ninguém.

Outros até podem ter deixado também de seguir o caminho dos outros homens, mas nunca são corruptos idênticos. São sempre autênticos. Eles se dizem novos autênticos, visto que são prepotentes em sua autodeterminação. A autenticidade que vejo aí não significa ineditismo, porém rica em adereços personalizados (uma cor de sua preferência e que o simboliza completamente, por exemplo).


Eles, corruptos, são inéditos porque são burros que se acreditam espertos. São prepotentes porque desdenham das restrições do corpo e da moral aplicados pelos homens que seguem pelo caminho da elevação de sua condição. Os corruptos chegam até a rir cinicamente de sua situação demonstrando o quanto se importam com as restrições que a justiça pode impingir-lhes na tentativa de resgatá-los e retorná-los à via dos outros homens.



CHEGOU EM FLORIANO A BEM ESTAR MÓVEIS PLANEJADOS.




Já está funcionando em Floriano a mais nova loja de móveis planejados. Os clientes interessados podem contatar o professor Iuri Lustosa (IFPI – Floriano) para fazer orçamento e elaborar projetos.

A loja funciona na Avenida Petrônio Portela, casa 501 T – Condomínio Roma (Escritório) Bairro: Rede Nova – Próximo a Universidade Federal do Piauí, em Floriano.

Contatos: Iuri Lustosa (86) 9948 9199 (TIM)

Facebook: http://www.facebook.com/bemestarmoveis.planejados.1?fref=ts

A empresa Bem Estar Móveis Planejados é uma empresa que tem foco no cliente, e tem por objetivo principal proporcionar conforto e bem estar, como o próprio nome sugere, através de produtos e serviços de qualidade.  
Atua com projetos bem elaborados, a partir dos desejos e ideias dos clientes, aperfeiçoando e garantindo ambientes com leveza e sofisticação à preços acessíveis.

A Bem Estar Móveis Planejados trabalha com matéria-prima de qualidade e conta com colaboradores qualificados para melhor atender, com agilidade, competência e excelência. Visando sempre conquistar a confiança do cliente.


A Bem Estar Móveis Planejados garante ofertar produto e serviços com praticidade, qualidade, agilidade, designe, melhor atendimento, promovendo responsabilidade social, através de projetos funcionais.



terça-feira, 28 de maio de 2013

43ª FEIRA AGROPECUÁRIA DE FLORIANO, I AGROSUL: SUCESSO RESGATADO.



Secretário Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Floriano, Marcelo Roxo, em entrevista ao Repórter Amarelinho na feira.








Gugu Wanderley (à direita) com amigos. 





Minha filha Sofia e sua colega Marta (esquerda / direita). Encontro e diversão para descontrair no período de avaliações da escola. 





Domingo passado à tarde, 26.05.2013., fui, com minha esposa e filha, ao encerramento da 43ª Feira Agropecuária de Floriano, I Agrosul. Fiquei contente ao perceber, em conversas com algumas pessoas, que o resultado foi positivo e todos os aspectos: social, cultural, político e econômico.

Este ano foi uma feira particularmente singular. Depois de oito anos entregue ao descaso e à incompetência governamental a feira caiu em descrédito e fracasso de público e econômico. Todo o glamour que havia foi jogado no lixo pela irresponsabilidade administrativa e trocado pela bagunça e falta de credibilidade.

A singularidade deste ano reside no fato alentador e marcante que o prefeito Gilberto Junior mudou o rumo e o modelo da feira. Com isso houve um aumento significativo de novos negócios tanto por parte dos criadores de animais como também pelos barraqueiros.

Gilberto Junior disse que esta ainda não é a feira agropecuária com o nível de importância e sucesso que pretende fazer. Apesar do sucesso ele tem planos para o próximo ano para garantir a retomada da dignidade do evento e marcá-lo no calendário das atividades culturais e econômicas de nossa cidade como algo importante e necessário.

O sucesso foi tamanho que pode ser medido pelo critério da segurança. Não foi registrado, conforme declarou o comandante do 3º BPM em Floriano Tenente Coronel Lisandro Honório, nenhuma queixa crime de qualquer ordem. E ressalto que o trabalho da PM foi primoroso e fundamental para garantir o sucesso da feira.

A 44ª Feira Agropecuária será do jeito que Gilberto Junior planeja e o povo merece. Vamos aguardar. 



REFLEXÕES POR UMA FLORIANO MELHOR.



O texto abaixo é de autoria de Airton Feitosa, aqui em foto de arquivo pessoal.


"Caro Jair,

De tanto ler os seus artigos combatendo, até então, os desmandos administrativos na nossa Floriano concluo que, cada vez mais, a corrupção é um crime ordinário que está associado sim ao analfabetismo, à prostituição infantil, ao desemprego, à falta de vagas nos hospitais, à falta de infraestrutura, à falta de planejamento habitacional, dentre tantas outras faltas...

Cresci às margens dessa “galeria” convivendo com esse esgoto a céu aberto que noite e dia corre rumo ao Rio Parnaíba desaguando neste seus dejetos hospitalares e materiais excrementícios sem o devido tratamento para situações como esta. Por lá passamos recentemente e vimos, eu e você, que a história ainda não mudou. Já se foram desde que a conheci, se não, quase meio século e nada fizeram pela saúde pública das comunidades que moram no seu entorno e, muito menos, pela saúde do nosso Velho Monge. Por quê? Será que as pessoas e o nosso rio não merecem! Será que foi falta de vontade política! Será que foi falta de sanidade! O que será que foi afinal?

E por falar nessa paisagem que faz parte da intimidade da minha vida e sobre a qual passava todos os dias... me veio a forte lembrança do tempo em que estudei no Grupo Escolar Odorico Castelo Branco. Um colégio público exemplar que tinha como base a disciplina conduzida por um memorável quadro de Professores, um Consultório Odontológico, uma infraestrutura excepcional e uma saudável merenda escolar. O que foi mesmo que aconteceu com o nosso “Odorico Castelo Branco” para estar nas condições física e estrutural nas quais se encontra hoje?"


Por: Airton Freitas Feitosa.

Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Fortaleza e com Pós-Graduação na Fundação Getúlio Vargas e na Universidade do Estado da Bahia.



terça-feira, 21 de maio de 2013

NELSON JUNIOR: BEM-ESTAR E COMODIDADE NAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO.



Foto do Facebook do Secretário de Educação do Município de Floriano, Nelson Junior, ladeado pelas 3.200 carteiras novas.


Prefeitura Municipal de Floriano recebeu 3.200 (três mil e duzentas)carteiras adquiridas através PAR (Planos de Ações Articuladas) do governo federal  com vista a melhoria das condições em que a educação é realizada pelas escolas da prefeitura municipal. A partir do diagnóstico da situação das escolas a demanda é oficializada buscando garantir mais conforto e bem-estar para poder despertar o interesse pelo aprendizado.

Basta observar que em raríssimas situações o prazer pelo aprendizado se dá em situações adversas. Sabendo muito bem disso, pois está concluindo um curso de mestrado, o professor Nelson Junior, Secretário de Educação, vem buscando por meio de ações concretas e integradas com os objetivos e propósitos do atual prefeito, Gilberto Junior, à frente da administração da cidade e, principalmente, da educação municipal, levar avante uma postura decente diante da educação pública.

A educação pública, por ser pública, não pode ser relegada ao descaso e à incompetência, mas deve ser dirigida por um prefeito que sabe o valor da educação na vida das pessoas, e mais precisamente das que mais necessitam se qualificar profissionalmente  Então, Gilberto Junior valoriza o ensino como fundamento para a elevação cultural, econômica e social daqueles que vivem em condições carentes de investimento financeiro para a dimensão cultural e por um secretário que valorize os colegas professores, os funcionários e, notadamente, os alunos.

A partir desses critérios civilizados o secretário de educação, Nelson Junior, tem desenvolvido parcerias com o governo do estado e irá receber em breve mais 1.000 (mil) carteiras e até o próximo ano todas as carteiras das escolas municipais serão substituídas por carteiras novas e confortáveis.

Quando uma cidade tem em sua direção políticos responsáveis e cônscios de seu dever aí temos ações desse nível de importância. Posto que, como já enunciei acima, as atividades pedagógicas devem ser desenvolvidas em ambientes que estimulem o aprendizado. Daí a minha satisfação em notar que a educação na cidade de Floriano está trilhando rumos que culminarão em resultados positivos em muito breve. 



MEMBRO DA GAIOLA DAS LOUCAS NÃO SE ASSUME. TEM MEDO.



Há um elemento que suponho fazer parte de uma súcia que legou à nossa cidade péssimos ensinamentos morais, políticos e econômicos que fica enviando comentários anônimos para meu blogue. Coisa de covarde, pois não é homem para se identificar e assumir o que diz.

O seu maucaratismo é da mesma cepa reinante por muito tempo na administração pública que infernizou a cidade de Floriano, visto que levanta calúnias sobre a minha conduta. Como ele não se identifica para que eu possa fazer o que tenho de fazer com vagabundos iguais a ele, então fica covardemente camuflado no anonimato.

Aparece, verme. Se identifica. Toma uma atitude de homem pelo menos uma vez na vida, já que metido nessa gaiola das loucas que é a sua súcia você se dissolve e desaparece no anonimato efeminado do seu grupo.




GILBERTO JUNIOR: IMPESSOALIDADE E MORALIDADE NA PRÁTICA POLÍTICA.



Foto (Cezar Pedrosa) esquerda / direita: Eu, professor Francisco Santana, prefeito Gilberto Junior e professor Darley Santiago.  


O que venho falando aqui sempre sobre os malfeitos políticos e administrativos do ex-prefeito de Floriano, o mais incompetente que esta cidade já teve, levanta uma questão que parece ter como base um saudosismo ético ou defesa antiquada da relação entre prática política e ética. Mas não é.


Vivemos um tempo em que alguns pretendem separar a política do crivo da avaliação ética. Os que pensam assim defendem a tese que diz que não devemos, na prática política, avaliar o que se faz sob a ótica do certo e do errado, mas apenas observar se o que foi feito trouxe proveito para quem decidiu fazer de um jeito e não de outro e se também adquiriu a chancela de justo.

O certo e o errado, o bem e o mal, ficariam restritos ao âmbito do particular, como algo que deve orientar apenas decisões pessoais e restritas. O que se espera com isso é evitar que se julgue eticamente as decisões tomadas na esfera do público garantindo apenas, para a ação praticada, uma avaliação “técnica”sobre se deu certo ou se foi proveitosa.

É como se quisessem dizer que os valores éticos que devem orientar as ações públicas, aqui entendidas como aquelas que dizem respeito ao público, não servem para julgá-las já que não são úteis e são desnecessárias. Como se não se referissem a nós, mas apenas ao eu.

A avaliação ética seria não um ato concreto de julgamento, mas um ato meramente abstrato, dispensável porque reservado aos que vivem com a cabeça no mundo da lua e não no mundo real. E os que vivem com a cabeça no mundo da lua têm preocupações desvinculadas do real. Por isso são saudosistas e antiquados. Assim, o que dizem não deve ser levado em conta, posto que é meramente dispensável e sem valor para o mundo concreto das decisões políticas.

O que eu faço aqui é levar a sério a condenação do desvinculamento da ação pública da avaliação ética e tendo sempre em mente que os malfeitores não são pessoas que se colocam acima do bem e do mal. E, com isso, procuro levar de volta as suas ações para o campo da avaliação éticapara que possa julgá-las sem me colocar contra as decisões no campo político ou econômico.

Não quero negar que se tomem as decisões com o objetivo de beneficiar eficientemente o público. Porque não são coisas separadas. Mas levar em consideração que uma – a ação pública - se submeta a avaliação da outra – a ética.

Os malfeitores querem criar uma realidade separada da eticidade para poder agir de forma impune. Pois isso gera confusão e incertezas no meio do povo.

O que quero é adentrar o mundo dos malfeitores e mostrá-los a insensatez da tese deles e ao mesmo tempo avaliar as decisões para que o público veja e sinta a necessidade verdadeira da avaliação ética das ações que eles decidirem praticar.

Me parece democrática essa minha proposição. Mas os arroubos dos malfeitores que pensam em privatizar o que é público e só aí levantar questões éticas são insensatos e antiéticos. Pois a ética deles é, na verdade, o mero arranjo dos desejos de se locupletarem do que é público. Por causa de elementos assimpassei oito anos com vergonha da minha cidade que deu liberdade para que eles pudessem agir impunemente.

Mas agora voltei a sentir orgulho de viver aqui. Voltei a sentir orgulho porque agora na prefeitura há um homem que possui valores opostos aos dos malfeitores e posto lá por 50% dos votos válidos - uma espécie de remissão. Gilberto Junior defende que as ações que serão praticadas no âmbito público devem se submeter, também, ao crivo do julgamento ético.  

Disse Gilberto Junior, prefeito de Floriano, em recente entrevista à TV local, sobre a política personalista retrógada e brega do ex-prefeito queenfeiou a cidade com a cor “laranja” (juízo de valor meu): “A impessoalidade e a moralidade devem ser pilares importantes na administração pública”.

Desse jeito, Gilberto Junior se opõe ao ex-prefeito que procurou, durante oito anos, pessoalizar a administração pública com a marca da separação entre ação pública e avaliação ética ornamentada pela cor que o simbolizou, o definiu e mostrou quem ele era e o que fez na prefeitura: a cor “laranja”.

A impessoalidade e a eticidade resgatadas finalmente possibilitam aos cidadãos dignos avaliarem com segurança as práticas políticas em Floriano. Desse modo,terão em troca aquilo o que lhe é bom e útil sem destruir seu patrimônio ético e, portanto, constatando se as decisões foram corretas e proveitosas .

Como resultado de minha postura avalio tambémque não se põe aqui de forma adequada e verdadeira o maniqueísmo como crítica à minha postura. Visto que entendo ser a ética um fundamento, sim, para a análise política porque a trago, a política, para dentro do campo daética com o propósito de validar a decisão tomada. Seja eticamente, seja “tecnicamente”.

Meus parâmetros, então, não deixam apenas a cargo da justiça ou da avaliação da eficiência “técnica” do resultado as ações políticas. Uso, em primeiro lugar, o aparato ético para saber se a ação foi boa ou má. Depois a julgo como justa ou injusta ou se foi realmente eficiente. 

P. S (1).: O Filósofo Michael Sandel no livro“O que o dinheiro não compra: os limites morais do mercado” defende o ponto de vista que reivindica a avaliação ética para as práticas econômica e política.

Alguns críticos de seu modo de filosofar dizem que ele faz um filosofar saudosista, porque propõe a necessidade desse vínculo. Segundo seus críticos, o novo liberalismo pressupõe que a justiça seja o parâmetro de avaliação desse tipo de prática pública.

Deve ser bom para quem é adepto dessa postura política e econômica, o liberalismo, mas não casa bem com a minha postura ideológica.
Desse modo, procuroas teses que casem com os meus fundamentos e objetivos políticos. E, certamente, separar política eética não é o viés ideológico que me possibilita fazer a crítica à separação entre ação política e avaliação ética.
Então, me torno um simpatizante, especificamente neste aspecto, do modo de filosofar de Michael Sandel. E ficamos, eu e ele, por aqui mesmo.

P. S (2).: Após o escrito no texto acima eu não poderia deixar de esclarecer que o que disse sobre a defesa dos malfeitores na política de Floriano pela separação entre a prática política e a avaliação ética não é o resultado de uma assimilação coerente, lógica e sistematizada por parte deles do entendimento filosófico do fato abordado. Não! Não fazem ou fizeram isso! Na verdade não conseguem, em sua maioria, compreender o que escrevo. Recorrem insistentemente à pessoas bem escolarizadas para “traduzirem” o que escrevo.

O ex-prefeito de Floriano é um exemplo incontestável e patético de político incoerente, com muito pouca lógica nos discursos. Pois ele é um sujeito muito mal escolarizado. Já demonstrei no meu blogue que ele é incapaz de elaborar um discurso minimamente coerente, logicizado, sistematizado.

Por isso mesmo não poderia fazer o que sempre fez e dizer o mesmo discurso que sempre diz a partir de uma interpretação bem elaborada do fato abordado no texto acima.

O que acabei de dizer é para que ninguém o tenha como um crítico elaborado do desvinculamento entre prática política e avaliação ética. Ele nunca será capaz disso.     

Leia uma entrevista com Michael Sandel clicando AQUI.




sexta-feira, 17 de maio de 2013

I SEMANA DO MEIO AMBIENTE DO IFPI - FLORIANO.



"O Campus Floriano do Instituto Federal do Piauí, através da coordenação do eixo ambiente, saúde e segurança, organiza a I Semana do Meio Ambiente, visando divulgar o perfil profissional, competências, habilidades e as oportunidades confiadas à carreira do técnico em meio ambiente.

A semana, que acontecerá de 4 a 6 de junho, tem como objetivo despertar o interesse para a prática ambiental saudável, além de contribuir diretamente para uma educação ambiental. O evento irá oportunizar discussões com foco nas questões ambientais, perfil e perspectivas do técnico em meio ambiente e projetos ambientais do Campus Floriano.

Para a realização do evento, serão convidadas instituições públicas e privadas da cidade como IBAMA e Instituto Chico Mendes, além de alunos e profissionais técnicos em meio ambiente, biólogos e demais interessados na parte científica do evento.

As inscrições poderão ser feitas via internet através do endereço eletrônico www.floriano.ifpi.edu.br/1sma ou presencialmente na coordenação de meio ambiente no campus, no período de 13 de maio a 6 de junho."


Para acessar a informação direto, clique AQUI


quarta-feira, 15 de maio de 2013

INAUGURAÇÕES E TRATATIVAS DE NOVOS NEGÓCIOS NO IFPI FLORIANO.



Prefeito de Floriano, Gilberto Junior.



Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - IFPI, Francisco Santana. 



Alunos do IFPI Floriano assistindo ao evento.



Mesa composta por: Odimógenes Soares, Diretor Geral eleito do Campus Floriano, Darley Santiago, ex-Diretor Geral, Rafael Ângelo, atual Diretor Geral e o prefeito Gilberto Junior. (Direita / esquerda da foto).



Refeitório do Campus Floriano.



Darley Santiago, Francisco Santana e Rafael Ângelo. (Direita / esquerda da foto).





Complexo esportivo.



Reunião com diretores da Terracal. 




Ocorreu hoje à tarde, 15.05.2013., duas solenidades no IFPI, Campus Floriano.

A primeira delas foi a inauguração de obras realizadas para o aperfeiçoamento e ampliação de várias áreas do campus. O refeitório foi reformado e ampliado, além da substituição de todos os móveis e os instrumentos que equipam a cozinha. Houve a entrega formal da obra de ampliação do complexo esportivo.

O Reitor do IFPI, Francisco Santana, esteve presente na solenidade acompanhado do Prefeito de Floriano, Gilberto Junior, do ex-Diretor Geral do campus, Darley Santiago, do atual Diretor Geral, Rafael Ângelo e do Diretor Geral eleito, Odimógenes Soares.

Gilberto Junior veio também receber diretores da empresa Terracal que veio iniciar as tratativas para que se estabeleça uma parceria com o IFPI Floriano para a formação e capacitação de trabalhadores para atuarem na empresa.

A Terracal Alimentos e Bioenergia Ltda “é uma empresa com sede operacional no Rio de Janeiro. É voltada à produção de alimentos e bioenergia, de forma economicamente competitiva e sustentável.”

Sobre o projeto pode-se ler no sítio da empresa os dados relativos das intenções e objetivos operacionais na grande região de Floriano:

Polo Integrado no Estado do Piauí

O polo integrado de alimentos e bioenergia que será implementado no Estado do Piauí visa à produção irrigada de cana-de-açúcar, tomate e cacau, matérias primas que serão processadas localmente num complexo industrial para produzir etanol, açúcar, pasta de tomate e amêndoas de cacau, além de gerar energia elétrica de bagaço e palha de cana.

Com investimentos previstos de R$ 1,5 bilhão, o empreendimento está focado em três frentes:

• Plantio de 27.360 ha com cana-de-açúcar e uma usina com capacidade de moagem de até 3.420.000 t/ano de cana para produção de etanol e açúcar, além de capacidade instalada de cogeração de até 137 MW;

• Plantio de 4.770 ha com tomate e uma planta industrial com capacidade de processamento de até 5.000 t/dia de tomate “in natura” para produção de pasta (polpa concentrada) de tomate;

• Plantio de cerca de 3.000 ha com cacau e linhas industriais para o beneficiamento de até 10.500 t/ano de amêndoas de cacau.

O empreendimento se destaca por seu alto nível de integração vertical e horizontal, com as plantas industriais processando e agregando valor aos produtos e subprodutos originários das atividades agrícolas e industriais e com os diversos projetos usufruindo sinergias via o compartilhamento de infraestrutura.

Esta mesma característica de integração das culturas e plantas industriais, aliada ao emprego de tecnologias modernas, proporcionará, também, ganhos ambientais ao empreendimento, com melhores indicadores de utilização dos insumos e recursos naturais. Por exemplo, as altas taxas de produtividades das culturas farão com que o projeto utilize apenas cerca de 60% da área plantada que seria necessária para obter o mesmo volume de produção anual no caso de um projeto com as produtividades médias atuais dos canaviais, tomaticultura e plantações de cacau no Brasil.

O Polo Integrado de Alimentos e Bioenergia no Piauí tornará produtiva a região do oeste do Estado, delimitada pelos municípios de Guadalupe (que abrigará as plantas industriais da Terracal), Jerumenha, Floriano e Marcos Parente.

O prefeito Gilberto Junior é um prefeito atuante na busca da criação de meios para a geração de emprego e renda em nossa cidade e região. Está em contato com as empresas que pretendem se estabelecer visando desenvolver atividades produtivas e criação de emprego e renda em nossa região. Em breve mais encontros desse porte ocorrerão em breve com outras empresas.

O encontro com os diretores da empresa aqui no campus objetivou as boas-vindas e o encaminhamento à sala de reuniões que ocorreram entre os diretores da Terracal, o secretário de governo, Cezar Pedrosa, dois vereadores de Floriano, professores e diretores do campus.

Quero destacar aqui o respeito, a integração e o conhecimento que o atual prefeito tem com a nossa instituição.

O ex-prefeito, o mais incompetente da história da cidade, nunca veio a nossa instituição para qualquer solenidade que foi convidado, demonstrando, assim, desrespeito, desconhecimento e falta de comprometimento com a educação e o desprezo por uma instituição respeitada e formadora de profissionais de alta qualidade.

Também não seria de se espantar com tais atitudes do ex-prefeito, o pior que Floriano já teve, visto que o mesmo é muito mal escolarizado e por isso não sabe reconhecer o valor e a importância que o IFPI Campus Floriano tem.

Mas vamos falar das “coisas novas que também são boas”, pois no passado havia coisas “novas” absolutamente ruins, podres, prejudiciais à cidade.
Gilberto Junior saiu daqui contente com as solenidades e esperançoso para que os projetos sejam o mais breve possível, concretizados.

A Terracal pretende começar a atuar a partir de 2014 e a produção industrial a partir de 2016. 
  
Eis a diferença que me deixa hoje orgulhoso de nossa cidade:  há homens públicos de bem, com caráter, seriedade, honradez que se contrapõem a malfeitores.

E nessa confrontação, saímos ganhando nós, a população de nossa região.


Para acessar mais informações sobre a empresa Terracal, clique AQUI

As fotos são do arquivo do IFPI Floriano. 


terça-feira, 14 de maio de 2013

MEU MAIS PROFUNDO E DECLARADO DESEJO SE REPRESENTA NA FOTO ABAIXO.



Foto da Internet.




Começaram as investigações do Ministério Público Federal sobre o período de desgoverno da cidade de Floriano que quase não tem fim de tão ruim que foi.

Esse período foi conduzido pelo prefeito mais incompetente que esta cidade já teve e o pior da história.

Além, é claro, de ter sido o responsável por tantas denúncias de irregularidades apontadas pelas autoridades fiscalizadoras e pelos órgãos da imprensa. Houve até uma denúncia feita pela Eletrobras de gato (roubo de energia). Uma não, duas, segundo a imprensa local.

As investigações começaram pela educação, mas outras tantas denúncias já estão sendo feitas sobre as mais diferentes áreas demonstrando que os malfeitos do ex-prefeito foram no atacado.

Essas denúncias que irão resultar, certamente, em mais investigações foram feitas a partir de auditorias pelo atual prefeito que disse recentemente que o rombo deixado pelo o ex-prefeito passa dos 43 milhões de reais.

Esse montante deve contemplar todas as áreas da administração pública. Floriano não tem um orçamento tão grande assim que esse montante possa se referir a apenas algumas poucas áreas.

No caso da denúncia aqui citada se refere à secretaria de educação. Mas como o modus operandi do ex-prefeito já é conhecido, ele transferiu a culpa integral para o ex-secretário. Ele nunca foi de assumir as consequências dos atos irregulares apontados pelas autoridades fiscalizadoras.

A minha esperança, do fundo do meu coração, é que no frigir dos ovos, ou seja, o resultado final de todas as denúncias de corrupção culmine em cadeia para o responsável maior por todo esse estado de malfeitos praticados na administração pública de nossa cidade, segundo o MPF, o MP, a Polícia Federal, o TCU e a imprensa (minhas fontes). 
   
Para ler a reportagem diretamente no portal que publicou a existência da investigação, clique AQUI.